Clarice Lispector e a felicidade clandestina


Eu amei Clarice tão logo a conheci…que mais posso dizer sobre ela?

Clarice foi minha companheira fiel nas horas mornas das tardes equatorianas; fui seu confidente e defensor, quando eu mesmo duvidava dela.

Clarice Lispector nasceu na Ucrânia, de pais russos, no ano de 1925 e emigrou com a família para o Brasil no ano seguinte, nunca mais voltaria à pequena aldeia de Tchetchenillk em que nascera. Fixaram-se no Recife, onde a escritora passou a infância. Depois da morte de sua mãe, quanto tinha 12 anos, ela mudou-se com a família para o Rio de Janeiro, já tendo esboçado seus primeiros contos.
Ingressou no curso de direito, formou-se e começou a colaborar em jornais cariocas. Em 1943 casou-se com um colega de faculdade e publicou, no ano seguinte ao de seu casamento, publicava seu primeiro livro, “Perto do coração selvagem” e, com apenas 19 anos de idade, pode assistir a enorme repercussão com o público e com a crítica de seu estilo, diferente de tudo o que se fizera até então. Sendo seu marido diplomata de carreira, Clarice viveu fora do Brasil por cerca de quinze anos, onde pôde dedicar-se exclusivamente a escrever.
Depois de separar-se do marido, já de volta ao Brasil e morando no Rio de Janeiro soube que sofria de câncer generalizado. Morreu em dezembro de 1977, na véspera de seu aniversário, como uma das mais importantes vozes da literatura brasileira.

Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença. Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida.”

obras

O Lustre (1946)
A cidade sitiada (1949)
A maçã no escuro (1961)
A paixão segundo G.H. (1964)
Uma aprendizagem ou O livro dos prazeres (1969)
A hora da estrela (1977) contos
Alguns Contos (1952)
Laços de família (1960)

A Legião Estrangeira (1964 – inclui Os Desastres de Sofia -resumo)
Felicidade clandestina (1971) – (resumo dos contos: ”A Criada”; ”A Mensagem”; ”Encarnação Involuntária”; ”O Primeiro Beijo”; ”Uma História de Tanto Amor”)
A imitação da rosa (1973)
A via-crucis do corpo (1974)
Onde estivestes de noite (1974)
A bela e a fera (1979 ) crônicas
Visão do esplendor (1975)
Para não esquecer (1978 )
Um sopro de vida (1978 )
A descoberta do mundo (1984) ficção
Água viva (1973) entrevista
De corpo inteiro (1975) livros infantis
O mistério do coelhinho pensante (1967)
A mulher que matou os peixes (1969)
A vida íntima de Laura (1974)"E se me achar esquisita, respeite também. Até eu fui obrigada a me respeitar."
Quase de verdade (1978)
Como nasceram as estrelas (1984)

“Eu escrevo sem esperança de que o que eu escrevo altere qualquer coisa. Não altera em nada… Porque no fundo a gente não está querendo alterar as coisas. A gente está querendo desabrochar de um modo ou de outro…”

Anúncios

Deixe seu comentário, obrigado!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s