Bufetes: Duas armas contra a vida


Originalmente o termo Bufete designava um tipo de armadilha, feita com uma

Armadilha usando um bufete

espingarda rústica, para abater caças na beira das matas; atualmente refere-se também à um tipo de caminhão (podemos dizer assim) improvisado, feito de pedaços e peças de outros veículos de carga, para o transporte de madeira das áreas de derrubada até as serrarias, frequentemente trafegando em rodovias federais, sob as vistas da PRF.

Perigo nas estradas do Pará

Este tipo de “veículo” quase sempre tem as engrenagens e motor aparentes; a cabine feita de madeira, pneus gastos e nenhuma solução de segurança – tanto para os que os utilizam quanto para os pedestres e demais condutores, que correm riscos gravíssimos ao cruzarem com estes caixões ambulantes numa BR ou vicinal.

A utilização deste meio de transporte é ilegal e imoral. Quando desmatadores ilegais percebem a chegada da polícia ou do Ibama, deixam as engenhocas na

mata mesmo, e o “prejuízo” é menor do que se fosse um caminhão legalizado. Os donos de serraria são os principais responsáveis pela existência dessa aberração sobre rodas.

Um caixão ambulante

Vejam o que ocorre quando um bufete trafega numa rodovia estadual:

Sete pessoas perdem a vida na PA-150

“Uma Van “engavetou” na traseira de um caminhão carregado de madeira que estava parado na pista. Outros três passageiros se feriram gravemente.

Nilson Santos (de Marabá) – A falta de sinalização para indicar que estava estacionado na margem direita da rodovia PA-150, sentido Marabá/Eldorado do Carajás, fez com que o motorista de uma Van engavetasse na traseira de um caminhão madeireiro, do tipo “bufete”, também conhecido como “espanta cão”. Esse tipo de veículo, muito comum no sul do Pará, usado para transportar madeira, é desprovido de qualquer tipo de segurança e não possui nem mesmo boléia. Geralmente não tem também farol ou luz de freio, sendo constituído apenas de um assento rústico para o motorista e a carroceria para transportar as toras de madeira. A imprudência do motorista, não-identificado, provocou a morte instantânea de sete pessoas e ferimentos graves em outras três.

O acidente aconteceu na noite de anteontem por volta das 22 horas, no quilômetro 87 da rodovia PA-150, a apenas 13 quilômetros da Curva do S em Eldorado dos Carajás. O motorista do caminhão fugiu logo após o choque e até no final da tarde de ontem, não tinha sido localizado pela polícia de Eldorado. Todas as vítimas são do sexo masculino, o que leva a crer que o transporte alternativo estaria fretado para alguma empresa, transportando trabalhadores para Eldorado dos Carajás, Curionópolis e Parauapebas.”

(Jornal O Liberal)

Anúncios

Deixe seu comentário, obrigado!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s