Pneumotórax, abdome cirúrgico e outras mazelas da TV


Assistindo aos últimos episódios da série médica House, me dei conta de quantas séries tem em cartaz, e elas existem para todos os gostos; tem a estranhíssima Carnivàle e suas tramas circenses; tem aquela que o cara tem tres esposas e passa quase o tempo inteiro tomando viagra, disputando mercado com a irmandade e se escondendo da polícia e dos vizinhos. Enfim, tem de tudo um pouco.

Tem séries que não passam de uma variavel um pouco mais animada das antigas sitcoms; como a Two and a half men, que depois da saída do Charlie Sheen perdeu completamente a pouca graça que ainda tinha, claustrofóbicas, as quais raríssimas vezes se passam ao ar livre.

Em todas elas se veem personagens com traços de personalidades tão exageradamente realçados que ficam até caricatos.

Falando agora especificamente sobre a série House, que na minha TV assinada termina hoje, após longos anos em exibição, outro dia soube que em Minas Gerais um grupo de pré-adolescentes resolveu brincar de equipe médica – à moda de Gray’s Anatomy – com um vizinho menorzinho, que foi salvo de uma “cirurgia” de emergência quanto a prestimosa “equipe” dos amigos já se preparava para fazer a primeira incisão…

O maior problema é ter quem ache sintomas de doenças graves numa simples flatulência.

Mas no mundo em que vivemos hoje, é melhor assistir séries as médicas do que as policiais e os westerns, que acham?

.

.

Anúncios

Deixe seu comentário, obrigado!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s